7 de março de 2011

A verdade é que me enchi,
De você, de nós, da nossa situação sem pé nem cabeça.
Não tem sentido continuarmos dessa maneira.
Eu, nessa constante agonia o tempo todo imaginando como você vai estar.
E você, numas horas doce, noutras me tratando como lixo.
Não sou lixo.
Tampouco quero a doçura dos culpados, artificial como aspartame

2 comentários:

Camila Lourenço disse...

Esse é meu. Hoje esse é meu!
Amei!

Erica Gaião disse...

Amei!

Queria ter dito isso aí...

Beijos